Como se proteger dos ruídos do carnaval

carnaval37405

Carnaval é época de festa e muita alegria. É difícil encontrar alguém que não goste desse período no ano: seja para festejar ou descansar, os quatro dias que pertencem ao Carnaval costumam ser muito bem aproveitados.

E para quem aproveita os festejos, é importante estar atento a intensa exposição próximo de aparelhos de som, que costumam estar muitos decibels acima do permitido.

Confira a seguir algumas dicas para curtir a folia, mas sem prejudicar a audição:

1- Mantenha distância das caixas de som
Seja em festas de rua ou assistindo ao vivo as escolas de samba, o recomendado é manter distância da principal fonte de ruído: as caixas de som. O ruído emitido por elas é extremamente alto e ficar exposto em um período frequente pode trazer danos definitivos.

2- Faça alguns intervalos distante do barulho
Durante a folia, procure estabelecer períodos em meio à festa intercalados com momentos de repouso da audição. Procure, a cada meia hora, ir para um local mais silencioso e ficar ao menos dez minutos descansando os ouvidos.

3- Aposte em protetores auriculares
Altamente recomendado para quem trabalha em locais com contato direto com todo o ruído carnavalesco, os protetores auriculares se tornam uma excelente opção para proteger e poupar a audição.

4- Preze por um sono de qualidade
Um local silencioso na hora do sono faz toda a diferença não só para recarregar as energias, mas também para dar o descanso que sua audição merece. Então prefira um local tranquilo para dormir.

5- Dê férias aos seus ouvidos
Se durante o período de festas não for possível ficar longe do barulho, tente na semana seguinte ao Carnaval dar o máximo de sossego possível para sua audição, evitando o uso de fones de ouvido, música alta e locais barulhentos.

6- Consulte um otorrinolaringologista
É muito importante visitar frequentemente um otorrinolaringologista, principalmente se após a exposição a ruídos seja constatado um zumbido no ouvido ou a sensação de perda de audição.

6-dicas

Dicas dadas, agora é só curtir a maior festa brasileira com cautela! Bom Carnaval a todos!

Como lidar com barulhos frequentes em condomínios?

Quem mora ou já morou em condomínio, sabe: uma das maiores causas de discussões entre vizinhos é o barulho. Seja por causa de crianças, televisão, música alta, risadas, gritos, objetos caindo, móveis sendo arrastados, entre outros, essa é uma realidade comum de quem mora em prédio.

Porém, a maioria acredita que as reclamações só podem ser feitas após as 22h, já que durante o horário comercial boa parte dos ruídos são permitidos. Mas, existem exceções. Das 7 às 22h, por exemplo, o volume máximo permitido é de 60 decibels, enquanto das 22 às 7h o nível permitido é de 50 decibels.

Isso significa que, caso o barulho seja excessivo e esteja incomodando, as reclamações são permitidas e devem ser respeitadas por quem estiver emitindo os ruídos.

É claro que precisa haver um bom senso de ambas as partes. Se um apartamento estiver em reforma, por exemplo, é comum o barulho intenso de marteladas e furadeiras. Sabemos o quão incômodo são os sons emitidos nessas situações, porém é algo temporário e, se feito em horário comercial, deve ser respeitado. Mas, se o barulho ultrapassar o horário permitido, a reclamação pode ser feita.

Ao conviver com vizinhos barulhentos, o recomendado é tentar negociar a diminuição dos ruídos mediante uma conversa amigável ou por intermédio da portaria. Alguns prédios costumam ter um livro de ocorrências, para as reclamações serem vistas pelo síndico e a partir daí o mesmo aplicar uma multa ou conversar com o vizinho.

Em últimos casos, se a reclamação for seja aceita e/ou o vizinho mostrar comportamento agressivo, a polícia deve ser contatada para tomar as medidas cabíveis.

A importância do silêncio para nossa saúde

Em uma rotina corrida como a que vivemos, principalmente se tratando de grandes cidades, os ruídos são inevitáveis. Estamos habituados a viver com sons constantes de buzinas, veículos acelerando, pessoas conversando, despertadores, música, entre outros.

Porém, o que nos parece tão comum pode acabar com a nossa saúde aos poucos. Isso porque os ruídos mais altos são interpretados pelo nosso cérebro como situações de perigo. Além disso, ao estar diante desse tipo de situação, nosso sistema nervoso central faz com que três hormônios relativamente perigosos sejam liberados, como a adrenalina, noradrenalina e cortisol. Eles causam elevação da pressão arterial, lábios secos e aceleração dos batimentos cardíacos.

E qual a solução para evitar essa convivência tão direta com o barulho? É simples: Basta reservar um tempo para o seu cérebro relaxar. Ao chegar em casa, fique de 5 a 15 minutos em silêncio, prestando atenção no que acontece ao seu redor. Esqueça por um tempo o celular, televisão e computadores. Deixe que apenas o cantar dos pássaros ou os ruídos das casas vizinhas interfiram nesse momento.

Essa espécie de ritual faz toda a diferença para que nosso cérebro e também nosso corpo como um todo possa relaxar e fazer com que possamos lidar com situações futuras de forma mais calma e tranquila.

Lembre-se de a partir de agora, reservar uns minutos de silêncio para si mesmo e note a diferença que isso irá fazer!

Cidade no Maranhão estabelece horários para festas com poluição sonora

213172-970x600-1

Na cidade de São Luis, no Maranhão, uma emenda municipal alterou o horário de funcionamento de festas ao ar livre e de estabelecimentos comerciais. A razão para tal é a utilização frequente de caixas de som em volumes altos, afetando o sossego dos moradores.

A partir de agora, o horário permitido é até às 3h, podendo chegar às 4h quando se tratar de estabelecimentos com isolamento acústico, como casas noturnas e boates.

Para festas ao ar livre, como o bumba meu boi, só podem ocorrer com aprovação prévia das autoridades competentes, que irão estabelecer os horários permitidos para as festividades.

A decisão foi tomada após a Delegacia de Costumes notar que boa parte dos crimes ocorrem em locais onde há intensa poluição sonora e, ironicamente, também não possuem licença de funcionamento.

A nova emenda pretende diminuir, desta forma, os intensos ruídos que prejudicam o sossego da população e, consequentemente, a criminalidade que acontece nesses locais.

Lembre-se: Poluição sonora também é crime. Denuncie.

5 dicas para minimizar o impacto dos fogos para seus animais de estimação

 

As festas de fim de ano estão chegando e, com elas, os famosos fogos de artifício. O que pode ser lindo de se ver e até mesmo esperado por muitos, é o desespero dos animais de estimação.

Isso porque a audição sensível deles faz com que o barulho, que já é alto, se torne ainda mais impactante para os animais. Se estiverem sozinhos em casa, o problema pode se tornar maior.

Sendo assim, é importante ter cautela com os bichinhos principalmente nessas datas. Confira algumas dicas importantes a seguir:

– GARANTA O CONFORTO NA SUA AUSÊNCIA: se você estiver fora de casa, deixe seus pets confortáveis. Permita que eles fiquem próximos de ambientes que tenham o seu cheiro para que eles se sintam mais seguros. Criar abrigos como cabaninhas dentro de casa ajudam a dar sensação de segurança;

– DEIXE-O SOLTOS E SEPARADOS: Não os deixe amarrados e/ou com coleiras presas em algum lugar. O desespero com o barulho dos fogos pode fazer com que eles se debatam e se machuquem seriamente. Além disso, no caso de muitos cães, o ideal é separá-los já que o barulho pode excitá-los e causar brigas perigosas;

– ABAFE A ENTRADA DE RUÍDO: fechar portas e janelas com colchões e cobertores pesados, colocar algodão nos ouvidos dos cães e gatos, e ligar o rádio ou TV em volume mais alto são ações que ajudam a diminuir a sensação de barulho que assusta os bichanos;

– EVITE FUGAS: Mantenha-os em um ambiente em que não haja riscos de fuga para a rua, por exemplo. No fim de ano os casos de desaparecimento de cães e gatos são muito maiores justamente pelo fato de eles entrarem em pânico com os ruídos e fugirem;

– IDENTIFIQUE-OS: Mesmo que sejam feitas todas essas atitudes de prevenção, lembre-se de deixar seu pet com uma correntinha de identificação, com nome, telefone e nome do dono, para que em caso de fuga, quem encontrá-lo possa entrar em contato.

E se você e planeja soltar fogos nas festas de fim de ano, lembre-se o quanto esse tipo de ruído pode afetar o entorno. Opte pelos modelos mais silenciosos. Os minutos de beleza dos fogos não valem o pânico e desespero dos animais.

Perda de audição: Causas

A surdez é um problema que afeta inúmeras pessoas de forma total ou parcial todos os anos. Ela pode sim, ser um problema de nascença, mas também pode ser ocasionada pelo avançar da idade e hoje em dia, principalmente, por fatores externos.

A surdez de nascença não possui nenhuma explicação para sua causa, porém em alguns casos ela pode ser revertida. Ao realizar o “Teste da orelhinha”, é possível diagnosticar o problema de forma precoce e a partir disso, realizar um tratamento que seja compatível com as necessidades da criança.

Fatores genéticos também podem causar a perda de audição, assim como o avançar da idade. Afinal, as vias auditivas, compostas pelas chamadas orelhas externa, média e interna, também envelhecem, trazendo uma dificuldade maior de audição.

Mas, o que realmente vêm preocupando os médicos é a perda de audição ao manter-se em contato constante e por um longo espaço de tempo em locais com ruídos extremamente altos.

Pessoas que trabalham em obras, com máquinas que emitem ruídos de alta intensidade e até mesmo quem frequenta locais onde o som alto é constante, como baladas, correm esse risco.

Outro fator que faz parte da realidade de muitos é o uso constante de fones de ouvido. Seja no trabalho ou no transporte público, o acessório é visto com facilidade nos ouvidos das pessoas. Porém, o que é utilizado para desvencilhar os ruídos externos podem trazer grandes problemas.

O som alto vindo de fones pode prejudicar a audição de forma irreversível. Por isso, é importante utilizá-lo em um volume baixo, de forma que ainda seja possível ouvir as pessoas ao redor. Outra dica importante é dar uma pausa a cada uma hora com os fones, para descansar os ouvidos.

Sendo assim, é muito importante ter cautela e evitar ao máximo a exposição em locais que temos consciência de que nossa audição pode ser prejudicada. No caso de utilização de fones de ouvido, por exemplo, vale ficar atento em relação ao volume do aparelho, assim como em televisões e shows em geral. Poupar sua audição agora é uma excelente forma de evitar problemas no futuro!

Maranhão oferece Curso de Controle de Poluição Sonora

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais promoveu, entre os dias 17 e 21 de outubro, o Curso de controle de Poluição Sonora.

O grande objetivo do curso, que teve carga horária de 40 horas, foi capacitar os técnicos para a realização do controle de poluição sonora, além de avaliação ambiental.

Por se tratar de um Estado que sofre diversas reclamações relacionadas a ruídos de forma geral, o curso deverá auxiliar os técnicos a entenderem melhor quais técnicas para realizar abordagens, fazer a fiscalização, entre outros, pois atualmente existem poucos profissionais treinados da maneira correta para este tipo de cargo.

Lembrando que a poluição sonora é a causa de boa parte dos problemas entre vizinhanças, sem contar os malefícios que são capazes de causar à saúde, como estresse, insônia e distúrbios neurológicos. Sendo assim, manter um ambiente com o mínimo de ruído possível é de extrema importância tanto para nossa saúde física quanto mental.