Poluição Sonora: O barulho pode afetar sua saúde

-

Diferentemente da poluição do ar, da água e do solo, a poluição sonora não pode ser vista e por isso muitas pessoas não percebem sua nocividade. Seus efeitos podem trazer graves danos à saúde e não pense que apenas a audição que é afetada!

A poluição sonora afeta o sistema endócrino, especialmente as glândulas que produzem o cortisol, aquele hormônio que causa acúmulo de gordura, pesquisas mostram que quem vive em locais ruidosos tem mais “barriguinha” de quem vive em locais silenciosos. Os hormônios relacionados à libido também são afetados. Estar exposto a um ambiente ruidoso também pode gerar um aumento da pressão sanguínea, provocar doenças circulatórias, como enfarte e até causar úlceras estomacais!

Estudos comprovam que crianças expostas a ambientes muito barulhentos podem apresentar dificuldades no desenvolvimento da fala – quando a audição está prejudicada por uma série de ruídos, fica mais difícil se comunicar. O barulho também compromete a concentração de crianças em fase de aprendizagem, quando há barulho intenso, a capacidade da criança de se ater à informação fica reduzida.

E quando falamos em dormir em ambientes ruidosos os efeitos também são perigosos. O sono interrompido por barulho pode resultar em uma longevidade menor, isso significa que se você dorme em um local ruidoso, você pode viver menos!

Como se proteger?

A principal medida para se prevenir dos efeitos da poluição sonora é reduzir o ruído no ambiente de trabalho e residência. Quando não for possível reduzir os sons na fonte emissora, a solução é utilizar um protetor auricular ou barrar a entrada de ruídos no ambiente com janelas e portas antirruído.

A longo prazo, o ideal é a conscientização da população para que todos saibam os danos que o excesso de ruído pode causar à vida de cada um. Diminuir as buzinas, o volume do som no carro, em bares e baladas, nas academias, em casa…

A Atenua Som promove, anualmente, um concurso de desenho com o tema “poluição sonora” entre as escolas da rede pública (cada ano em uma capital do país), com o objetivo de promover a discussão em sala de aula sobre os graves problemas provocados pela poluição sonora nas grandes cidades. O resultado a cada ano é surpreendente. “Os ruídos que mais aparecem nos desenhos, são ruídos fáceis de ser evitados com a conscientização, como o som da música do vizinho, buzinas e carros de som. O ideal seria deixar as janelas antirruído somente para resolver os ruídos mais difíceis de evitar como os de aviões, obras e dos carros e caminhões nas avenidas” diz Nicole Fischer, diretora de marketing da empresa.

O jeito é cada um começar desde já a fazer a sua parte… abaixar o volume da música e pensar duas vezes antes de buzinar já é um bom começo!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.