Poluição sonora aumenta riscos de obesidade em mulheres

-

Estudo divulgado pelo Instituto Norueguês de Saúde Pública (Nasjonalt folkehelseinstitutt, Folkehelseinstituttet, FHI) descobriu que a poluição sonora está relacionada com aumento de peso corporal, principalmente em mulheres – a cada aumento de 5 decibéis, há um aumento de 0,21 centímetros na circunferência abdominal, já nos homens não se observou o mesmo resultado.

Mais pesquisas sobre os efeitos a longo prazo da poluição sonora na saúde são necessárias. É importante descobrir mais sobre os mecanismos de desenvolvimento de doenças e identificar os grupos vulneráveis já que existem grandes diferenças individuais na sensibilidade ao ruído“, diz Gunn Marit Aasvang , pesquisador sênior do “Department of Air Pollution and Noise“.

As pesquisas começaram em 1999 em um grupo de 5.075 pessoas que vivem em cinco áreas suburbanas e rurais nos arredores de Estocolmo/Suécia e incluíram informações sobre alturas de construção, limites de velocidade e barreiras acústicas.

Os resultados não foram influenciados por fatores socioeconômicos, estilo de vida ou a exposição à poluição do ar.

Principais resultados da pesquisa:
– Entre as mulheres foram encontradas associações estatisticamente significativas entre os níveis de poluição sonora e três marcadores de obesidade: índice de massa corporal, circunferência da cintura e quadril-cintura
– O resultado da poluição sonora e obesidade entre os homens foram menores
– Aqueles com idade inferior a 60 anos tiveram maior influencia entre poluição sonora e a obesidade
– A qualidade do sono não pareceu ter associação com a obesidade
– Homens com o quarto de frente para uma rua movimentada foram os mais afetados na redução da qualidade do sono
– Segundo a Organização Mundial de Saúde, o ruído do tráfego rodoviário, ferroviário e de aeronaves é uma das principais dificuldades para se atingir uma vida saudável na Europa Ocidental, principalmente devido à irritação e perturbação do sono
– O ruído é um fator de estresse que contribui para a perturbação do descanso, sono, comunicação, hipertensão, doença cardiovascular, pressão arterial, mudanças hormonais e nos níveis de estresse.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *